Arquivo da categoria: Protozoários

Malária

  No Brasil, após a realização da campanha de erradicação, durante a década de 60, o número de casos de malária atingiu o seu valor mais baixo: 52.469 casos, confinando-se a transmissão, praticamente, à região amazônica. A manutenção da transmissão, após a campanha, foi atribuída à baixa densidade e à dispersão populacional na Amazônia, que dificultam a execução das ações de controle; ao tipo de habitação predominante nessa área que facilita os contatos homem-mosquito e atrapalha a aplicação de DDT; e ao aumento progressivo das cepas de Plasmodium falciparum resistentes à cloroquina, impedindo o esgotamento das fontes de infecção, com os recursos habitualmente utilizados (OPS, 1975).
MORFOLOGIA – Plasmodium – Malária

Estas formas abaixo podem aparecer no sangue circulante e são usadas para diagnóstico específico.

  •  Esporozoíto – é a forma infectante que o mosquito inocula no homem.
  • Trofozoíto jovem – tem um aspecto de anel.
  • Trofozoíto maduro – o citoplasma é irregular e com vacúolo.
  • Esquizonte – o citoplasma é irregular e vacuolizado
  • Rosácea – cada fragmento do núcleo, acompanhado de uma porção de citoplasma.
  • Merozoíto – é uma forma ovada contendo um núcleo, pequena porção de citoplasma, é forma assexuada.
  • Macrogametócito – é a célula sexuada feminina.
  • Microgametócito – é a célula sexuada masculina.
  • Ovo ou zigoto – dentro do mosquito – têm forma esférica.
  • Oocisto – é o ovo encistado na parede do estomago do mosquito e dará origem aos esporozoítos.

 BIOLOGIA

Hábitat – varia conforme o ciclo evolutivo do parasito. Assim no homem temos formas parasitando hepatócitos durante a fase pré-eritrócítica e formas parasitando as hemácias durante a fase eritrocítica. No mosquito formas parasitas no estômago e  glândulas salivares.

CICLO BIOLÓGICO

É do tipo heteroxênico, onde o homem é o hospedeiro intermediário e o mosquito fêmea do gênero Anopheles é o definitivo.

  1. No homem – reprodução assexuada do tipo esquizogonia.
Fase pré-eritrocítica: fígado
 
Fase eritrocítica: hemácias

 

  

 

 2.  No mosquito – reprodução sexuada do tipo esporogonia.

Estômago e glândulas salivares.
 
   

























  

 

 



Amebas Testáceas

Minha apresentação de artigo,  na monitoria da Disciplina Zoo I, foi com o seguinte artigo :

Horizontal distribution patterns of testate amoebae (Rhizopoda, Amoebozoa) in plankton samples of the Corumbá reservoir area, state of Goiás, Brazil.

Fábio Amodêo Lansac-Tôha*, Luiz Felipe Machado Velho, Cláudia Costa Bonecker and Anderson Setsuo Miyashiro Aoyagui.

Núcleo de Pesquisas em Limnologia, Ictiologia e Aqüicultura, Universidade Estadual de Maringá, Av. Colombo, 5790, 87020-900, Maringá-Paraná, Brazil. *Author for correspondence.

Padrões de distribuição horizontal de tecamebas (Rhizopoda, Amoebozoa) em amostras de plâncton na área do reservatório de Corumbá, Estado de Goiás, Brasil. O objetivo deste estudo foi discutir as variações horizontais na assembléias de tecamebas em diferentes regiões do reservatório de Corumbá. Foi identificado um total de 61 taxa pertencentes a 8 famílias. Difflugiidae foi a mais rica em número de taxa. O maior número de taxa foi registrado em ambientes lóticos. O aumento na velocidade de corrente, descarga e a lavagem da vegetação marginal resultaram em um incremento na riqueza de espécies nos ambientes lóticos. Por outro lado, a presença de muitas espécies acidentais nas zonas lacustre e transicional do reservatório pode ser em razão de essas serem regiões profundas e extensas. Centropyxis aculeata foi constante em todas as regiões, com exceção da zona lacustre do reservatório. Outros taxa foram constantes somente nos ambientes lóticos (rio Corumbá-jusante e tributários) e zona fluvial do reservatório: Arcella conica, A. costata, A. discoides, A. vulgaris, Centropyxis ecornis e Difflugia gramen.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Da apresentação deste artigo, resulto uma ampla discussão sobre o tema abordado, sua importância e críticas.

Grandes nomes neste artigo:  Fábio Amodêo Lansac-Tôha, Luiz Felipe Machado Velho.

Projeto: protistas heterotróficos

Projeto idealizado por Amélia Neli, Elísia Bastos Moraes (eu), Gabriela Santana, Laís Cardoso e Suelen Rodrigues, por orientação do Professor de Zoologia e especialista  Paulo Tadeu e da Bióloga Fabiana Reis.

Local de Coleta - rio Imbassaí - Foto: Suelen Rodrigues

Aspecto físico do ponto 4 - Foto: Suelen Rodrigues

Coleta - ponto 4 - Foto: Suelen Rodrigues

Ponto de coleta 3 - Foto: Suelen Rodrigues

ponto de coleta 2 - Foto: Suelen Rodrigues

Ponto de coleta 1 - Foto: Suelen Rodrigues