Conhecendo Uçá

A reprodução do caranguejo – uçá
João Marcos de Góes et. al, (e outros autores)diz que os machos apresentam um abdome alongado estreito, com forma aproximadamente triangular, além disso, possuem um par de gonopódios que são estruturas usadas no acasalamento. Já as fêmeas possuem um abdome semicircular e alargado, além da presença de quatro pares de pleópodos, que são estruturas usadas para auxiliar a fixação dos ovos.
Na época do acasalamento, machos e fêmeas saem de suas tocas, abrem seus abdomens e se posicionam, um em frente ao outro, para que o macho possa introduzir seu aparelho reprodutor na fêmea. A determinação do período reprodutivo para muitas espécies de crustáceos é feita com base nos meses em que são encontrados fêmeas com ovos durante um ciclo anual. No caso do caranguejo – uçá, a reprodução ocorre de dezembro a março. Nesse período, ocorre o fenômeno conhecido como “andada”, quando os caranguejos podem ser vistos saindo de suas tocas para
copularem e também muitas fêmeas são observadas subindo nas raízes para extrusão dos ovos.
Os ovos assim que são liberados apresentam constituição pastosa. Acredita-se que, passada essa fase inicial e após atingirem a consistência “ideal”, essas fêmeas voltam para as tocas durante o desenvolvimento embrionário e, posteriormente, realizam o comportamento padrão para a eclosão das larvas.
Em estudos da Embrapa, observou-se que machos e fêmeas já podem reproduzir-se a partir de 4 cm de largura da carapaça. De acordo com o IBAMA (Portaria 34/013 de 24/06/2003) o tamanho mínimo permitido para a cata do caranguejo é de 6 cm. Este tamanho mínimo para captura é importante e deve ser respeitado, permitindo que esse animal se reproduza ao menos uma vez.
O desenvolvimento embrionário do caranguejo – uçá ocorre em 18 dias, após a eclosão, o desenvolvimento das larvas se dá em torno de 60 dias e esses animais atingem a maturidade sexual em torno de 3 anos. Segundo pesquisas, o caranguejo – uçá tem uma expectativa de vida em torno de 9 anos.

Os machos apresentam um abdome alongado estreito, com forma aproximadamentetriangular, além disso, possuem um par de gonopódios que são estruturas usadas noacasalamento. Já as fêmeas possuem um abdome semicircular e alargado, além da presença dequatro pares de pleópodos, que são estruturas usadas para auxiliar a fixação dos ovos.Na época do acasalamento, machos e fêmeas saem de suas tocas, abrem seus abdomens ese posicionam, um em frente ao outro, para que o macho possa introduzir seu aparelhoreprodutor na fêmea.A determinação do período reprodutivo para muitas espécies de crustáceos é feita combase nos meses em que são encontrados fêmeas com ovos durante um ciclo anual. No caso docaranguejo – uçá, a reprodução ocorre de dezembro a março. Nesse período, ocorre o fenômenoconhecido como “andada”, quando os caranguejos podem ser vistos saindo de suas tocas paracopularem e também muitas fêmeas são observadas subindo nas raízes para extrusão dos ovos.Os ovos assim que são liberados apresentam constituição pastosa. Acredita-se que,passada essa fase inicial e após atingirem a consistência “ideal”, essas fêmeas voltam para astocas durante o desenvolvimento embrionário e, posteriormente, realizam o comportamentopadrão para a eclosão das larvas.Em estudos da Embrapa, observou-se que machos e fêmeas já podem reproduzir-se apartir de 4 cm de largura da carapaça. De acordo com o IBAMA (Portaria 34/013 de 24/06/2003)o tamanho mínimo permitido para a cata do caranguejo é de 6 cm. Este tamanho mínimo paracaptura é importante e deve ser respeitado, permitindo que esse animal se reproduza ao menosuma vez.O desenvolvimento embrionário do caranguejo – uçá ocorre em 18 dias, após a eclosão, odesenvolvimento das larvas se dá em torno de 60 dias e esses animais atingem a maturidadesexual em torno de 3 anos. Segundo pesquisas, o caranguejo – uçá tem uma expectativa de vidaem torno de 9 anos.

No período da “andada”, os caranguejos não devem ser capturados, pois afetaria o período reprodutivo da espécie, tornando-os um recurso pesqueiro escasso.

fonte: FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DO PIAUÍ

Por João Marcos de Góes, Lissandra C. Fernandes-Góes e Jefferson F. Alves Legat

Anúncios

Sobre EEBM

Graduação em Ciências Biológicas. Especialização em Ecologia e Intervenções Ambientais. Realiza estudos ecológicos em manguezais e estuários, inventário faunístico (crustáceos).

Publicado em 19/08/2010, em Animais, Caminhos da Biologia, Caranguejos - crustaceos, Ecologia, Educação, Zoologia. Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Julio Neves

    Como são maravilhosas as obras do senhor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: